Fôjo: não é um navio de piratas…mas podia ser!

O Fôjo, é muito mais do que um simples bar de pescadores.
É um navio de Jack Sparrow espontâneosem cenário nem decorador.
É único, e surpreende pela sua estética alternativa e decadente, filosofia simples e paradoxal profundidade.
Encantou-me muito antes de o conhecer por dentro, para lá das paredes pintadas e das cordas de navio do Jaques Cousteau.
Faz parte da terra e da paisagem, e das gentes…e da história das gentes que por mais de 40 anos, ali passaram.
É do Sérgio, e é de Fão.
Já tentaram demoli-lo, mas as pessoas uniram-se, fizeram “abaixo-assinados“… e o bar mais antigo da “terrinha” (hoje em dia muito mais frequentado por turistas estrangeiros do que pelos populares) continua de pé!
Em ambiente descontraído, a cerveja vende-se às grades, wisky em tijelas de barro ou um jarro de”receita”.
Ouve-se Pink Floyd, Gipsy Kings e rock old school (muito bom!) até a noite acabar…

 

 

 

Leave a Comment