Modalisboa 34/ Checkpoint – dia3

ANA SALAZAR reinterpreta o Barroco (uma época excessiva e decadente) através de uma perspectiva punk-chic.

O contraste black and white, deu inicio a um desfile irreverente, bem ao estilo da designer.

Napa vermelha, acolchoados, printing com motivos religiosos, malhas e pêlo.

Ana Salazar esteve recentemente envolvida numa campanha da PETA, pelo que não utiliza peles verdadeiras nas suas colecções. Contudo, podemos admirar belíssimos casacos e coletes de faux fur!

O desfile contou com a participação especial da artista plástica Joana Vasconcelos.

 


LUÍS BUCHINHO, 
celebra vinte anos de carreira com uma incrível colecção que fez furor também na Fashion Week de Paris.

A excentricidade dos anos 70, revista pelo rigor minimal dos anos 90.

Elegância urbana e contemporânea, e o design inconfundível do criador.

Como peças-chave: calças sino, vestido mini e casaco sem mangas.

Materiais como o couro e a lã compactada, contrastam com a leveza das rendas e mousselines com lurex, numa paleta dark. (Preto total e falsos negros, como o chocolate negro, petróleo, chumbo ou azeitona).

 

KATTY XIOMARA,  imagina, fantasia, e “constrói” poesia geométrica através do Tangran.

O quebra-cabeças chinês, através do qual com apenas sete peças é possivel formar mais de 1700 figuras, dá agora origem a uma colecção bastante adaptável ao dia-a-dia, muito romântica e feminina, mas menos “girly” do que o habitual.

Preto, Cinza e Azul foram a base para uma paleta de amêndoa, malva e amarelo.

Mais elegantes do que nunca, os eternos vestidinhos curtos que são a imagem de marca da criadora.

Elementos característicos do design de K.X., como folhos, laços e drapeados, estiveram sempre presentes, bem como os fechos zipper, padrões geométricos, pintinhas e transparências.

Texto: Inês Soares
Fotos: Rui Vasco

Leave a Comment