Luís Buchinho recriou o movimento ondulante das medusas numa colecção ultra moderna muito elegante e feminina, com aquele design único e arrojado, que é a assinatura em tecido do seu criador.
Vestidos, pedaços de arte que nos transportam por instantes para uma dimensão paralela. (A dos sonhos? …)
Clássicos reinventados, são peças eternas, para além dos limites do tempo e das tendências.
Assimetrias, plissados destruturados em silhuetas fluídas.
Vários tons de azul, malva, anis, branco, pérola, preto, rosa e laranja.
A maquilhagem clean das modelos, bem como a ausência de acessórios, fizeram cada peça brilhar por si.


Entrevista a Luís Buchinho (Verão 2010)

RWM_ Podes falar-nos um pouco sobre esta colecção?
LB_ Eu fiz uma colecção baseada em imagens de medusas em movimento, onde tentei criar uns volumes novos, assimétricos, que balançassem e dançassem um pouco em volta do corpo da mulher.
Como tal, usei materiais muito leves, muito delicados, todos eles plissados, e os plissados são todos abertos e destruturados. Usar volumetrias muito novas, ligadas ao uso da cor, muito forte também, para realçar toda essa novidade em termos de silhueta.
Quis também criar peças que não tenham uma nomenclatura muito óbvia, peças que não são uma calça, um calção, uma saia. São um pouco difíceis de classificar, mas eu acho que todo o movimento das medusas foi captado justamente por não haver um eixo simétrico. A silhueta foi trabalhada com uma grande assimetria.

RWM _ Como surgiu o tema?
LB_ O tema surgiu uma pouco em sequência da colecção do Inverno que passou, em que eu trabalhei muito timidamente a parte plissada nas calças e dos ombros. Fui buscar um tema que se adequasse a isso.
RWM_ A natureza?
LB _ A natureza, trabalhada de uma maneira orgânica, mas não com uma aparência orgânica. As cores são mais artificiais, o look é muito mais moderno.
Não é um look eco-friendly, é um look que tem inspiração na maneira como a natureza se estrutura no fundo, que é uma maneira um pouco inesperada, sempre em constante mutação.

RWM _ Começaste a trabalhar nesta colecção logo depois da anterior. Como é que te inspiraste para este trabalho? Qual foi o “clic”?
LB _ O clic pode não aparecer logo, porque eu não faço primeiro esta colecção, faço primeiro a colecção comercial, e essa, é menos comprometida em termos de tema.
Eu posso dar-me ao luxo de ir desenhando as peças, começar a faze-las, e o tema pode não surgir na semana ou no mês a seguir, porque a apresentação é só daí a seis meses.
Portanto, começo a trabalhar numa colecção com um foco mais comercial mais assertivo.

RWM_ Qual o tipo de mulher que veste as tuas criações?
LB _É muito abrangente, tem uma faixa etária muito alargada, entre os 20 aos 60 anos, facilmente…e é uma consumidora que tem uma consciência moderna, fashion.
Eu acho que as minhas peças conseguem ter um grau de intemporalidade muito bom, ou seja, conseguem envelhecer muito bem. São peças que daqui a um ano, ou dois dá p vestir. Depende depois da maneira como se coordenam, mas continuam up to date.

RWM _ Qual é o teu mercado principal?
LB _ Portugal. Neste momento estou a vender para Espanha, mas Portugal é realmente o que tem maior significado.

RWM_ Próximos projectos?
LB_ O próximo projecto é sempre a próxima colecção, e eu vou agora continuar com as minhas duas linhas, a linha principal e a de malhas.

Texto: Inês Soares
Fotos: Rui Vasco/ Modalisboa

Leave a Comment