Nuno Gama, um nome há muito presente no top da moda portuguesa, explodiu nos anos 90, tornando-se desde então uma referência incontornável, principalmente no universo da moda masculina.

Após concluir o curso de design de moda no Citex – Porto, apresenta a sua primeira colecção na ModaLisboa, dando início a uma colaboração regular com a indústria têxtil em áreas como tecidos, peles, calçado e confecção.

A marca Nuno Gama dá inicio a uma nova era na moda nacional, marcando presença em importantes exposições estrangeiras como ‘Mode Gitanes’ no museu do Louvre – Paris, ou ‘Hombres de Fraldas’ – Madrid.

A sua assinatura, é uma forte inspiração na tradição e cultura portuguesa, tanto devido à presença de elementos representativos da identidade nacional, como no recurso a técnicas de artesanato tradicionais.

Nuno Gama leva Portugal além-fronteiras com as suas criações.
Em 93 vence o concurso de design de fardas para os Museus de Portugal e em 97, para a Portugal Telecom.

É responsável pelo guarda-roupa de figuras públicas, series de tv, peças de teatro e bailado, e o seu talento é reconhecido com os prémios Globos de Ouro e 7 de Ouro.

Em 96, abre a primeira de uma cadeia de nove lojas em Portugal, que é obrigado a fechar após o incêndio que em 98 reduz a cinzas oito anos de trabalho do estilista, à excepção de uma única colecção, que se encontrava no mercado Ferreira Borges, para ser apresentada no Portugal Fashion.

No ano seguinte, o criador interrompe a sua actividade enquanto marca própria para coordenar o departamento de moda-homem da Maconde, e só regressa aos desfiles com a a colecção Outono/Inverno 2003/04.

Depois de um período de afastamento das passarelles, Nuno Gama, como a Fénix que renasce das cinzas, arrasa as últimas edições da ModaLisboa, arrebatando público e imprensa com propostas de puro estilo.

 

Texto: Inês Soares
Fotos: 1 – dailymodalisboa.blogspot.com
2 – João Lamares ( Fashion Heroines)

Leave a Comment