Portugal Fashion 25/ Hot n Cool – SS 2010

Após quatro edições na “outra margem do Douro”, o Portugal Fashionregressa à cidade do Porto.

Entre os dias 16 e 18 de Outubro, num dos edifícios mais carismáticos da cidade (a Alfândega) revelaram-se tendências e propostas de mais de quarenta marcas e criadores, em dezassete desfiles individuais ou colectivos, de vestuário, calçado, e joalharia.

O tema Hot n Cool traduzia a energia e optimismo do Verão, reinterpretado através de uma estética cosmopolita, urbana e sofisticada.

Organizado pela ANJE em parceria com a ATP, o PF levou a cabo a sua 25ª edição.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Dia 1

Destaque para o criador português radicado em França FELIPE OLIVEIRA BAPTISTA, com “Underfeated”, a sua primeira colecção de prêt-à-porter.
Majoretes, harley davidson, punk, tailoring masculino e antiguidade grega.
Um mix de influências para uma explosão criativa, urbana e contemporânea.
Pele, popelina de lã, mousselines de seda, jersey de algodão e seda, bordados e estampas fotográficas em degrades de cinza, verde água, nude, preto, em contraste com tons vivos de magenta, verde e fucchia.

ANABELA BALDAQUE, apresentou “Uma casa para a alma”.
Cada peça, um abrigo simbólico. Manifesto poético que veste.
Fantasia descomprometida, em vestidos com laços.

Sedas, algodões, organzas e tules, em vários tons de rosa, azul noite e pérola, criam uma silhueta volumosa, por vezes ajustada por cintos.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Dia 2

Desfile colectivo de jovens criadores – Destaque para ODETE BARREIRO, com uma colecção alternativa muito jovem e feminina, em tons violeta, cinza e cru.

DIOGO MIRANDA apresentou “Waterboy”.
O espírito cosmopolita, numas férias maravilhosas entre amigos, a bordo de um glamouroso iate.

CELSUS – Um original desfile, em que o trabalho de atelier é abordado em estado puro.
Os moldes e a modelagem das peças, que não chegam a ser…
O interior das peças de vestuário, apresentado por “bonecas manequins de atelier”.

A dupla STORYTAILORS, levou-nos numa viagem  entre o ocidente e o oriente.

“Wall flowers, fight flowers” (flores de estufa, flores de combate), representou uma homenagem à mulher a ao seu papel na história ao longo do tempo.

Os tecidos, uma alusão à cultura popular portuguesa numa reinterpretação das chitas e das frioleiras.
Diferentes silhuetas, numa colecção harmoniosa, muito feminina e elegante.
Casacos, vestidos, tops, saias e calças, de excelente corte, detalhes e acabamentos de qualidade, com padrões desenvolvidos a partir das chitas portuguesas.

Depois de se apresentar na mundialmente conhecida “Bread and Butter”, a RED OAK fez a sua estreia em passerelle no Portugal Fashion.
Atitude, lifestyle, e o design inconfundível de Júlio Torcato numa colecção urbana e descontraída inspirada no movimento de Nova Iorque.

FÁTIMA LOPES, pintou a passerelle com as cores do céu.
“Air”, recém-chegada de Paris, surpreendeu pelas cores vivas em degradé.
Inspiração futurista em silhuetas femininas e elegantes (imagem de marca da designer).
Mousselines, rendas, cetim de seda, linho e crepe.
Destaque para os sapatos coloridos, de saltos vertiginosos.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Dia 3

O ultimo dia de Portugal Fashion 25, abriu com os desfiles duplos de Jordann SantosRita Bonaparte, e Pedro Pinto/ Sónia Pratas, seguidos de CARLOS GIL, com  fluidos vestidos de noite inspirados na harmonia entre  oriente e  ocidente. Luxo, elegância e glamour.

A colecção de vestuário masculino da ID VALUES, e uma novidade: a apresentação colectiva das dez marcas de ourivesaria/ joalharia que encerraram o evento.

Texto: Inês Soares
Fotos: Arquivo Portugal Fashion;
Hugo Tinoco (foto Celsus)
Inês Soares

Leave a Comment